Topo
Terra à vista!

Terra à vista!

Categorias

Histórico

A vila norueguesa que quer abolir o tempo foi só uma bela ação de marketing

Felipe van Deursen

27/06/2019 12h29

Porto de Tromsø, principal cidade da região (foto: iStock)

69º37' N, 18º01'L
Sommarøy
Troms, Noruega

Foi notícia no mundo todo, em todos os fusos horários. Sommarøy, uma vila na Noruega, quer se livrar das amarras do tempo e das obrigações do relógio. Afinal, ele não faz tanto sentido assim em um lugar com meses de sol a pino e outros de noite eterna.

Mas, como revelou a imprensa do país escandinavo, a campanha, que contou com apoio real de habitantes e de políticos (na esteira das discussões sobre acabar ou não com o horário de verão), foi uma belíssima jogada de marketing para promover o local.

Veja também

O mistério dos parques abandonados no meio da Disney
A vila espanhola onde diabos de máscara pulam sobre bebês em festa
Frustrados do mundo, existe um lugar para vocês: as Ilhas da Decepção

A tal petição dos moradores da ilha, em que eles fizeram um apelo para se tornarem uma sociedade sem tempo, era uma brincadeira. Na verdade, a reunião em que alguns habitantes locais debateram o assunto foi, na verdade, a apresentação do plano da empresa estatal Inovasjon Norge, que queria mostrar como o norte da Noruega é um lugar tentador no verão.

Ou seja, não foi uma manifestação contra a mediçã do tempo, uma das mais bem-sucedidas criações humanas para conectar o planeta. Foi uma campanha de marketing para mostrar uma ilha onde o sol não se põe por 69 dias, as pessoas dispensam relógios e os horários não se aplicam. Um local idílico, ora pois.

Aurora boreal no condado de Tromps, onde fica a "ilha sem tempo" (foto: iStock)

"Por que precisamos de tempo e relógio quando não anoitece?" pergunta a página do movimento Time Free Zone no Facebook. De fato, os cerca de 300 habitantes encaram a questão de maneira própria. Afinal, são eles que vivem no Círculo Polar Ártico, não os turistas que querem atrair. E eles sabem que seu cotidiano tem um potencial turístico. Não é qualquer um que corta a grama de madrugada ou que não precisa dizer para os filhos não voltarem tarde, simplesmente porque nã existe "tarde" nem madrugada no verão. São exemplos corriqueiros que os tornam uma curiosidade global.

Daí a grande sacada da Inovasjon Norge para a ilha, cuja ponte de acesso não está empanturrada de cadeados (como em tantas outras cidades europeias), mas de relógios. Foi um sucesso. A história repercutiu em mais de mil veículos de imprensa e foi acompanhada por mais de 1 bilhão de pessoas. Convenhamos, funcionou.

Sommarøy é uma antiga vila de pescadores que há séculos tem uma conexão com o bem-estar. Seu nome quer dizer "ilha do verão", e, no século 17, as pessoas que a procuravam para descansar pagavam uma espécie de imposto detox.

Hoje, noruegueses buscam Sommarøy pelas suas praias de areia. A temperatura esta semana deve chegar a 12ºC. Nada mal para um lugar no norte da Noruega.

Depois dessa semana, provavelmente gente de muitos outros países desejarão visitar a ilha e seu sol da meia-noite. Mas provavelmente de relógio, até porque é preciso saber a que horas parte o ônibus de Tromsø para chegar lá.

Sobre o autor

Felipe van Deursen é jornalista de história. Autor do livro 3 Mil Anos de Guerra (Ed. Abril), foi editor da Superinteressante e da Mundo Estranho e colunista da Cosmopolitan. Gosta de batata, de estudar e de viajar.

Sobre o blog

Os lugares mais incríveis e surpreendentes do mundo e a história (nem sempre tão bela nem tão ensolarada) que cada um deles guarda. Um blog para quem gosta de saber onde está pisando.